O que é antifragilidade?

antifragileHá coisas que se destroem ao mínimo sinal de agitação, pressão, estresse ou contrariedade. Um vaso de porcelana, por exemplo, precisa ser transportado com muito cuidado para não sofrer avarias. O vaso é, portanto, frágil.

Por outro lado, há coisas que conseguem suportar toda essa contrariedade. Uma mesa de madeira maciça dificilmente se esfacelará, mesmo sob fortes forças contrárias. A mesa é, portanto, robusta.

Conceitualmente, vemos que o robusto não é exatamente o contrário de frágil. O frágil se enfraquece com o estresse, enquanto o robusto suporta o estresse. O oposto do frágil seria, portanto, aquilo que se fortalece com a aleatoriedade: o antifrágil. Por exemplo: as flores, como uma espécie, se fortalecem em cenários incertos. Ventos fortes espalham seu pólen; ventos fracos favorecem o espalhamento pelos pássaros; chuvas estimulam estimulam seu crescimento; sol lhes dá energia (via fotossíntese). [...]  leia mais

Guia econômico alimentar para quem mora só

congeladorSe você precisa de comida e de dinheiro para sobreviver, este texto é pra você. Sua jornada em direção à Independência Econômico-Alimentar (IEA) está prestes a começar.

Sabe aqueles seus colegas de trabalho que almoçam fora todos os dias?, sabe aquelas propagandas de pessoas felizes compartilhando sanduíches na McDonalds?, sabe aqueles restaurantes que vendem comida “fit”? Pois é, na maioria das vezes, todos eles são péssimos exemplos pra você atingir a IEA, tanto em termos econômicos quanto alimentares/nutricionais. [...]  leia mais

A força de vontade te deixa mais fraco

halteresMinha rotina alimentar normalmente é muito rígida, quando comparada a rotinas comuns: zero glúten (ou seja, zero trigo, cevada, centeio, dentre outros), quase zero derivados de leite (só incluo manteiga, e, às vezes, algum sorvetinho), poucas lectinas* (ou seja, pouco arroz, feijão, milho, soja, batata, dentre vários outros). Espera-se, portanto, que eu seja dotado de uma força de vontade descomunal para aguentar uma rotina desse tipo. Como é que eu consigo viver sem arroz e feijão, sem batata? Só posso ter sido O Escolhido para congregar a força de vontade que falta em 50% da população mundial. [...]  leia mais

A origem de toda a fraqueza

terraAcredito que já falei por aqui sobre como se Divertir e se Desenvolver pra Valer, correto? Caso alguém ainda tenha dúvidas, a real fonte de Diversão e Desenvolvimento é Hackear a Vida. Felizmente, todos nós nascemos com certa expertise próximos nessa habilidade, quando exploramos incessantemente o ambiente (“tira o dedo da tomada!”), desenvolvemos argumentação lógica incontestável (“a mãe do Enzozinho sempre deixa ele botar o dedo na tomada…”) e aprendemos o valor do trabalho duro (“tomei meu copo de leite de amêndoa, cadê meus R$2?”). [...]  leia mais

Cure seu Vício do Carro Louco

traffic_jamMeu principal guru da frugalidade é Mr. Money Mustache (MMM), que é um ferrenho opositor da carrocracia, e um fervoroso evangelista do uso da bicicleta.

A seguir, traduzi livremente um clássico texto do seu blog: “Curing your Clown-Like Car Habit”. Para quem nunca leu MMM, sua escrita é muito enfática, por vezes agressiva, mas faz parte do seu humor, e deixa a leitura muito mais divertida.

Uma das coisas mais estranhas neste País é a forma como o povo usa seus carros. Você precisa fazer um enorme esforço para encontrar um local nesse enorme território de quase 5 milhões de quilômetros quadrados onde você não veja filas intermináveis de seres humanos sentados rodando pra lá e pra cá nessas máquinas enormes e ineficientes. [...]  leia mais

Tuas coisas te possuem

coisas

O casal João Regular e Norma Lizada mora numa casa ampla, espaçosa, com sala, ante-sala, sala de jantar, sala de tralhas, cozinha, área de serviço, três quartos, três banheiros, edícula e garagem para dois carros. Isso tudo foi conquistado depois de muito suor, muito trabalho, muitos relatórios e muita encheção de saco aos superiores.

O casal está radiante porque finalmente hoje é sexta-feira!, está chegando o período de dois dias de descanso muito merecido. João e Norma não vão perder uma hora pra ir e mais uma hora pra voltar no trânsito do trabalho, sem contar o transtorno de sair pra almoçar durante o expediente. Chegando em casa após o trabalho, eles se congratulam por mais uma semana indo jantar num restaurante de classe média alta (“nós merecemos!”), com direito a entrada, refeição com nome francês e sobremesa (também com nome francês). [...]  leia mais

Minha jornada rumo à independência financeira

alce

Sou um raro felizardo. Tenho 27 anos, tenho um emprego na minha área de formação, no qual me sinto constantemente desafiado – mas numa intensidade saudável -, e que me propicia aprendizados diversos todos os dias. O salário é plenamente satisfatório para quem tem um estilo de vida simples como o meu. Possivelmente esse é o sonho profissional da maioria da população brasileira.

Mas eu mal posso esperar para me aposentar.

Esse meu plano já me rendeu algumas reações interessantes: “Mas você teve toda uma formação acadêmica exemplar para trabalhar somente 20 anos?”, “Como você vai arranjar os R$ 2 milhões para ter uma aposentadoria segura?”, dentre outras. O choque é ainda maior quando eu falo que amo meu trabalho. [...]  leia mais